Fala galera, fãs de HQ's sejam bem vindos ao nosso mundo!

27 de dezembro de 2018

DC anuncia série live-action do ‘Swamp Thing’ e divulga logos para séries «Titans», «Young Justice» e «Harley Quinn»

18:00 Posted by Alberto Sonoda No comments













A DC Entertainment através do seu site oficial, revelou que o serviço de streaming digital da companhia irá se chamar de DC Universe.

Com o comunicado, a DC também aproveitou para anunciar que uma série live-action do personagem Swamp Thing, encontra-se em desenvolvimento. A série será produzida por James Wan, com a sua produtora Atomic Monster. (via Variety)

Wan, que atualmente está a realizar o filme solo do Aquaman, irá também assumir a produção executiva ao lado de Michael Clear (Lights Out), Mark Verheiden (Constantine) e Gary Dauberman (It), que irão escrever o guião.

Baseado nas BDs escritas por Len Wein e Nernie Wrightson, a história acompanhará Abby Arcane, uma pesquisadora do Departamento de Controle de Doenças que precisa 








investigar um vírus originado num pântano em Houma, Louisiana, com a ajuda do cientista Alec Holland. Quando Holland desaparece misteriosamente, a cidade é então tomada por forças poderosas com o objetivo de explorar as peculiaridades do pântano, o que faz Arcane perceber que talvez o seu colega e interesse romântico não tenha desaparecido – e sim se tornado num protetor monstruoso.







Também foram divulgados os logos oficiais para Titans, série live-action sobre a famoso grupo de sidekicks que já terminou sua primeira temporada nos EUA. Para a terceira temporada da série animada Young Justice, que terá como subtítulo Outsiders e também para a série de animação da Harley Quinn, para maiores de idade.




Todas as séries live-action e animadas, estarão disponíveis no serviço de streaming. Porém, tal serviço que tem data marcada para 2018 só estará disponível para os Estados Unidos da América. Sendo possível que outro serviço de streaming, como Netflix, como foi no caso de Titans, e está marcado para Janeiro a estreia de Titans na Netflix, e as outras tabém podem ser que ela adquira os direitos de distribuição para os mercados internacionais.













Pós-crédito de Titans episodio 11X01 último episodio!

12:00 Posted by Alberto Sonoda No comments



Chegamos ao final da temporada de Titans, e que série é essa?!
Para mim não teve um episódio mais ou menos, assim como foi o último episódio, muito bom, 
se quiserem algo mais detalhado, eu fiz um post sobre o episódio 11X01.
E para nossa maior surpresa o episódio não finaliza a história e deixa um gancho 
para próxima temporada, e ainda tem um pós-credito, pra deixar qualquer um de 
cabelo em pé, a cena começa em um laboratório, e logo é revelado o nome na parede,
CADMUS, e eis que aparece o Superboy, que mata um cientista e depois entra em 
uma sala, e solta um cachorro, mas não é um cachorro qualquer, ele é Krypto, o
Supercão (ou Superdog em inglês) é um cão fictício, personagem de histórias em 
quadrinhos pela DC Comics. Cuja primeira aparição se deu numa edição do
Superboy Adventure Comics #210, em março de 1955. Essa história foi publicada 
no Brasil pela EBAL na revista "Superboy-Bi" n. 1 de abril-maio de 1967.
Apesar da raça de Krypto nunca ter sido especificada nos livros de banda desenhada,
Krypto foi desenhado como sendo um cão branco com um pedigree genérico.




Projeto CADMUS






O projeto Cadmus foi fundado por Dabney Donovan , Reginald Augustine e 
Thomas Thompkins. As instalações de Cadmus foram originalmente construídas
em um grande aqueduto abandonado fora de Metropolis. Exploração logo descobriu
uma vasta gama de cavernas perto das instalações. Isso se tornaria importante 
mais tarde.
Dabney Donovan foi finalmente demitido do Projeto porque ele sentiu que nunca 
deveria haver limites na compreensão do potencial do código genético. Donovan 
foi amplamente credenciado para as criações não-humanas do Projeto, conhecidas 
como DNAliens (seres humanos clonados e geneticamente modificados para 
descobrir o potencial sobre-humano enquanto também lhes dá uma aparência 
mais "alienígena"), vários clones normais, monstros nos filmes de terror favoritos 
de Donovan (que viviam em um pequeno planeta artificial na Terra chamado Transilvane). 
Um dos DNAliens chamado Dubbilex tornou-se um membro proeminente da equipe.
Há também "step-ups" que se chamam "os Hairies ", super hippies que desenvolveram 
uma base de conhecimento evoluída e desenvolveram tecnologia de defesa e transporte 
além do entendimento dos humanos modernos. Os Hairies vivem fora do controle direto 
de Cadmus, vivendo dentro de uma "Montanha do Julgamento" móvel que 
os mantém constantemente escondidos dos assuntos tanto de Cadmo 
quanto da sociedade em 
geral. Antes de se mudarem para a montanha, os Hairies viviam em
uma floresta de 
casas de árvores vivas chamada Habitat, que fica bem em frente a algumas 
das principais instalações de Cadmus.
O projeto tem um "número oposto" na forma da Fábrica do Mal , um projeto de criação 
de monstros criado por Darkseid como parte da Intergang e dirigido por dois de seus
servos chamados Simyan e Mokkari . Eles foram originalmente criados no Projeto 
Cadmus, mas devido à crueldade da experimentação que experimentaram nas mãos 
do Dr. Dabney Donovan, eles desenvolveram uma grande dose de ódio contra toda a
humanidade. Eles formam um enclave científico chamado "Brigadoom" como um meio
de agradar Darkseid, criando um exército de construções genéticas monstruosas.
Eles estão constantemente criando entidades para ajudar o Darkseid a dominar a 
Equação Anti-Vida., pistas das quais existem na Terra. Isso permitiria que Darkseid e 
seus lacaios, como Simyan e Mokkari, governassem seus arredores.
Após a Crise nas Terras Infinitas , o Projeto foi reintroduzido como Projeto Cadmus, 
em homenagem à lenda grega de Cadmus , que criou guerreiros a partir dos dentes 
de um dragão.
Antes de criar o Projeto DNA, Kirby escreveu uma história de clonagem chamada 
"The Cadmus Seed" em Alarming Tales .
A versão pós-crise fez sua primeira aparição no Superman Annual # 2 (1988). 
Foi responsável pela criação do novo Superboy , clonado a partir de material 
genético obtido de Superman e Lex Luthor (originalmente, o DNA humano era 
identificado como o do diretor do Projeto, Paul Westfield ). Superboy é posteriormente 
libertado pelos clones da Legião dos Jornalistas , que agora, como adultos, estão 
todos trabalhando para Cadmus. Um clone do Guardian , outro herói de longa data,
trabalha na instalação. Como antes, outro membro proeminente da equipe é Dubbilex ,
um "DNAlien" com poderes telepáticos. Cadmus é executado por um tempo pelo 
diretor Westfield. Após a morte do Superman nas mãos do Dia do Juízo Final , 
Westfield Teve o corpo do Super-Homem roubado e trabalhado pelos cientistas de
Cadmus em The Legacy of Superman # 1 (1993). Depois que a aproximação mais 
aproximada de seu DNA é criada, Westfield tem um clone Guardião chamado Auron 
que agride os clones do jornaleiro legião e seus "pais" adultos em um esforço para 
adquiri-lo. Auron quase mata os clones, fazendo com que eles caiam no Habitat,
antes de suas memórias do Guardião virem à tona. Ele pega a única cópia do 
DNA no espaço. A Legião adulta, em seguida, desafia abertamente Westfield 
e pondera abandonar Cadmus.
Dabney Donovan, ainda insano, retorna várias vezes para atormentar Cadmus, 
como capturar a Legião adulta e submetê-los a vários tormentos. Ele também 
se aliava com forças de Apokolips .
Cadmus entra em guerra com as forças de Lex Luthor em uma história do 
Super-Homem chamada "The Fall of Metropolis". Esta história apresenta
uma "praga clone" com muitos clones se tornando doentes e até mesmo morrendo.
Westfield é morto por Donovan. Cadmus é aparentemente totalmente destruído, 
mas o Projeto simplesmente aproveitou a oportunidade para ir à clandestinidade.

Krypto o cão




Quando John Byrne mexeu na história de Superman em 1986, o Supercão foi uma 
das primeiras coisas que ele eliminou da origem do herói. Entretanto, por volta do
mesmo ano, Byrne mostrou que havia um Krypto (igual a versão pré-Crise) 
vivendo com um Superboy numa dimensão chamada Mundo Compacto. Este 
Krypto foi afetado por kryptonita dourada, tornando-se um cão comum. Mais tarde, 
ficou subentendido que Krypto morreu quando General Zod, Quex-Ul e Zaora 
destruíram a atmosfera da Terra do Mundo Compacto.

No desenho animado Liga da Justiça sem Limites, Krypto faz uma breve 
aparição durante o episódio Para O Homem Que Já Tem Tudo (o qual é baseado
em um comics do Superman que possui o mesmo nome). Entretanto, vale 
a pena ressaltar que Krypto não participa realmente da trama desse gibi / 
episódio, visto que, ele está presente em Kryton (num domicílio na Fazenda 
El nas proximidades da cidade de Kandor) junto com a fictícia esposa de 
Superman Xamada lyla lerrol, seus 2 fictícios filhos van-El e Orna-El, e
Brainiac (que nessa estória é amigo e auxiliar de Kal-El). Contando com o 
fato de que, todos os kryptonianos que existiram estão vivos, porque Brainiac 
não explodiu o planeta Krypton e nem a gigante vermelha Rao. Tal como todos
os outros kryptonianos, Krypto não tem superpoderes, por conta da alta 
exposição perante a radiação vermelha de Rao, e pela falta da captação da
radiação do Sol amarelo da Terra.
Na verdade, esta estória se deve ao fato de Superman estar sob um 
profundo transe hipnótico sentimental, transe esse, causado pela Clemência
(ou Mercenária) Negra (uma planta alien parasita produz sonhos e 
alucinações extremamente profundos), a qual "dada como presente e 
aniversário" por Mongul como uma forma de vingança contra o super-herói. 
Sendo assim, tudo (ou talvez quase tudo) que é relato, enredado e visto 
nesse capítulo são todos(as) os(as) ilusões, alucinações, desejos e sonhos 
perdidos mais profundos do âmago da alma do Superman.

O Superboy

 


As origens do Superboy começam com o Projeto Cadmus: o Superboy, 
que é o projeto que originalmente pretendeu recriar o Homem de Aço.
Devido à incapacidade de duplicar e estabilizar o DNA Kryptoniano, 
os clones do Superman acabavam se degenerando depois de um curto 
período de tempo. Sobre a morte do Superman, o projeto é restabelecido 
em segredo em conjunto com Laboratórios de Cadmus e Lex Luthor para 
substituir o herói "morto". Depois de doze tentativas documentadas 
na clonagem de um Superman, o DNA humano (secretamente aquele 
de Lex Luthor) é parcialmente usado para estabilizar o DNA Kryptoniano. 
O resultado é o Superboy, o primeiro clone próspero do Superman.

Ele apareceu para substituir o Super Homem após a morte dele, mas
 nesse período havia outros Superman: Aço, Erradicador e 
Superman Ciborgue.
Durante o ataque de Superman Ciborgue, Conner tentou enfrentá-lo 
mas foi brutalmente derrotado. Quando Superman, que acabara de 
retornar dos mortos, emerge para enfrentar Hank, Superboy e Aço 
se juntam a ele na batalha.
Após a batalha com Hank, Superboy passou a ter aventuras, em 
uma delas onde ele se torna o herói do Havaí. Na época em que Kon
foi criado recentemente, ele agia como um anti-herói rebelde, 
agressivo e que desobedecia as ordens do Superman, já que teve 
um tempo em que ele já o odiava, depois disso, ele começou a
respeitá-lo e admirá-lo como um exemplo de inspiração, e depois 
que foi trabalhando em equipe, ele ficou mais calmo e descobriu o 
que significa ser um herói. aí ele passa adotar a identidade humana de 
"Conner Kent", como primo adotivo do Superman
Conner também fez parte da Justiça Jovem onde ele conheceu seus 
amigos Robin, Impulso, e sua futura namorada Moça Maravilha. Mais 
tarde participou dos Novos Titãs.



17 de dezembro de 2018

Elseworlds crossover do Arrowverse SEM SPOLLERS!!!

21:46 Posted by Alberto Sonoda No comments





             ######################  S E M   S P O L L E R S  #######################








" Elseworlds " é o quinto evento anual de crossover da Arrowverse , apresentando 
episódios das séries de televisão 
de ação ao vivo The Flash , Arrow e Supergirl no The CW . O crossover começou em 9 de dezembro de 2018, 
com The Flash , continuou em Arrow em 10 de dezembro e terminou em Supergirl em 11 de dezembro.



O Crossover

Antes de qualquer coisas você tem que saber, que esse crossover não é como os outros, 
ele não é um crossover só entre as séries da CW, é um crossover entre a série do 
novo sistema de streaming da DC e as séries da CW!
No caso a Batwoman, mas a série dela vai estreia ano que vem em 2019, pelas as
 promos que soltaram antes dos crossover, parecia que iria ser aquelas histórias
 frenéticas, meio complicadas de entender, que se você pisca os olhos, não vai 
entender mais nada, mas o ritmo é normal, que mesmo muita coisa acontecendo, 
você consegue acompanhar tranquilamente, tudo bem amarrado.


Os personagens




Stephen Amell (que faz o Arqueiro Verde) e Grant Gustin (que faz o Flash) se saíram bem 
na troca de papel, a atriz que faz Lois Lane se saiu muito bem, nem precisa dizer 
que ver o Flash dos anos 90's foi altamente nostálgico, os vilões se saíram 
muito bem, e a cenas de ação da Batwoman  ficaram ótimas.

Gotham


Só tenho uma coisa a dizer, ficou um gostinho de quero mais, não vejo a hora de ver essa 
série da Batwoman, e também ver mais dessa "Gotham", o asilo, e a Wayne Enterprise 
e o DPGC (Department Police the Gotham City), só apareceram poucas coisas 
da dessa ineblamatica cidade, mas foi muito bom e não vejo a hora de ver mais, 
não só a cidade, mas tudo que gostamos e admiramos do universo do Batman, 
a cidade tem um clima bem diferente das outras séries da CW (mesmo que 
a produção não seja da CW, eles estão na terra 1) uma fotografia e arte visual 
que assim como a série Titans já diz pra que veio!




Obrigado por ler essa resenha, deixe seu comentário e sugestões abaixo!



7 de dezembro de 2018

'Stephen Amell de Arrow em "Elseworlds" e canalizando seu Barry Allen interior

12:00 Posted by Alberto Sonoda No comments
A CW é famosa por fazer um enorme crossover de super-heróis envolvendo os shows da Arrowverse por anos. O esforço deste ano é chamado de " Elseworlds " , e se concentra em misturar personagens de The Flash , Arrow e Supergirl , com alguns rostos novos e empolgantes (Batwoman e Lois Lane!). Aqui está uma rápida olhada no que esperar 
Parte 1:
“Quando Barry Allen e Oliver Queen acordam uma manhã e percebem que trocaram de corpos um com o outro, os dois partiram para descobrir o que perturbou a linha do tempo para causar tal mudança. No entanto, as coisas rapidamente vão de mal a pior quando apresentam seu caso ao Team Flash e a turma não acredita nelas. Barry e Oliver percebem que precisam da ajuda de Supergirl e viajam para Smallville na Terra 38, onde acabam conhecendo a prima de Kara, Clark Kent ( Tyler Hoechlin ), e a repórter intrépida Lois Lane ( Elizabeth Tulloch ). ”
Durante uma recente visita ao set de Arrow , a estrela da série Stephen Amell seabriu sobre o crossover e sobre o que ele mais se empolgou.


PERGUNTA: Sabemos muito sobre o crossover de suas mídias sociais, então obrigado por isso.
STEPHEN AMELL: Agora, a propósito, eu não estava me desonrando. Tudo isso foi projetado com base no cronograma de produção e na quantia que publicamos nas ruas em público. Sempre pensamos que é melhor para nós mostrar às pessoas antes de verem uma fotografia granulada. Então, acredite em mim quando digo que tudo foi planejado.
PERGUNTA: Nós definitivamente sabemos muito mais sobre o crossover do que nos anos anteriores, então isso é emocionante.
AMELL: Você embora? (Riso)
PERGUNTA: Como foi para você se tornar o Flash, depois de todos esses anos sendo apenas o Arqueiro Verde?
AMELL: Ah, foi o máximo, não sei se o chamaria de o mais recompensador, mas foi o mais divertido que tive, talvez até mesmo, durante o show.
Tanto do que senti porque Grant eu tinha uma discussão muito cedo. Grant [Gustin] e eu nos vimos no jantar ontem à noite, porque os executivos da CW estão aqui para a festa do 100º episódio do The Flash e do Supernatural 500th episódio e foi estranho porque Grant e eu, depois de passarmos cada minuto juntos a melhor parte de um mês, nós não nos víamos há 10 dias. Foi como, "Como você está?" Eu me diverti muito, mas tivemos a discussão muito cedo que se isso fosse funcionar, nós realmente teríamos que ir em frente, certo?

Então, há elementos, porque ele tem minhas habilidades aprendidas e seus superpoderes, há elementos da personalidade um do outro que cada um de nós tem que abraçar para ter sucesso na missão que está diante de nós. Então, de vez em quando, eu canalizo meu Barry Allen interior e estou olhando para Grant depois da fita dizendo: “É demais agora?” Nós nos divertimos muito. Eu acho que a passagem deste ano, mesmo que não tenhamos tantos personagens DC como fizemos no ano passado, parece a primeira vez, ou no mínimo, o melhor exemplo de nós apenas abraçando a diversão todos e abraçando todas as oportunidades que temos por causa de todas as coisas que tivemos a chance de construir ao longo dos anos.
PERGUNTA: Você pode nos dizer como se sentiu com a Batwoman sendo introduzida no Arrowverse?
AMELL: Fantástico Foi ótimo. Você sabe, a ideia de irmos para Gotham City foi realmente emocionante, e conseguimos fazer algo que eu nunca fiz. Eu nunca filmei o show em nenhum lugar além de Vancouver, então para ir a Chicago e fazer tudo isso, foi incrível. Ruby (Rose / Batwoman) é fantástico. Eu acho que ela vai fazer muito bem e você sabe, eu sou toda para expandir o universo, certo? Toda vez. Sempre. Não há nenhum cenário em que eu vá, "Não, obrigada". Quero dizer, eu definitivamente tenho que filmar em sets em Gotham City, Star City, Central City e Earth 38, e em algum lugar que eu não posso explicar adequadamente. Eu nunca pensei que isso aconteceria.
Parte 1 do crossover “Elseworlds” vai ao ar no domingo, 9 de dezembro th na CW.